Pular para o conteúdo

Controle e Negação do orgasmo – Prazer intensificado?

Vamos admitir: às vezes o “não” é bom. Agora muitos vão pensar “ok, esqueça, eu vou desistir de ler por aqui”. Portanto, antes de ver você fugir do site, gostaria de salientar que abaixo você pode ler um breve resumo de algumas das práticas de controle e negação do prazer em vários níveis. E eu já imagino alguém me dizendo “eu em nenhum nível”, eu digo a você que talvez você esteja mentindo, porque todo mundo pelo menos uma vez na vida sentiu a emoção de ter quase atingido o orgasmo, MAS abrandou um pouco por fazer durar mais alguns instantes, aproveitando o momento ou para esperar pelo orgasmo do seu parceiro, não é? Então você tem que tentar. E se você realmente não pode fazer isso e ir direto como um trem desgovernado, informo que você pode praticar o autoerotismo!

Então, vamos prosseguir:

Provocação e negação Tease and denial

Traduzido em “Estimular/provocar” e “Negar”. É uma prática em que um dos parceiros estimula o sexo do outro a ponto de o orgasmo ser fisiológico e inevitável. Nesse ponto, a estimulação para ou é reduzida um passo antes do ápice. Ele pode retomar mais tarde para parar novamente quando o nível máximo de excitação for atingido novamente. Essa privação do orgasmo “bloqueando” pode se repetir por muito tempo por um contínuo “altos e baixos” de intensidade, aumentando a necessidade, como se fosse uma necessidade física, psicológica e emocional. Pode não haver uma certeza total de que a estimulação será concedida e concluída a fim de dar ao parceiro o orgasmo tão desejado, especialmente em situações de BDSM entre Dominador / Dominatrix e submissa / submisso, uma condição em que obviamente será o Dominante quem decide se esse desejo for concedido. Portanto, para este termo genérico “Provocação e negação”, podemos dizer que pode haver controle inicial e temporário do orgasmo (se for apenas adiado, mas no final acontece) e negação do orgasmo se isso for finalmente evitado.

Amarre e provoque

“Bind” e “Stimulate” Bondage é um bom exemplo disso, parte integrante do jogo é a impossibilidade de um dos dois parceiros se movimentar livremente para participar ativamente da relação e em busca de sua libertação. A possibilidade de estimulação, portanto, depende do parceiro, pois ao limitar os movimentos o controle do próprio prazer é prejudicado. Essa situação também pode incluir a prática de “provocação e negação”, caso haja um nível claro de papéis no relacionamento. Não raro, o parceiro privado pede explicitamente o estímulo, sentindo uma necessidade quase ao limite da resistência.

Negação total

É uma prática que exclui totalmente a estimulação dos órgãos genitais para obter prazer. Esse tipo de restrição pode ser obtido por meio de restrição física ou do uso de cinto de castidade (existem para homens e mulheres). Esses cintos evitam qualquer contato com os órgãos genitais e, como para os homens, impedem a ereção completa. Portanto, ao contrário dos casos anteriores em que é possível vivenciar o prazer, embora com limites no seu manejo, a estimulação e, portanto, o contato são negados. Paradoxalmente, o dominante ainda conseguia despertar o submisso usando a voz ou estimulando-o visualmente. Isso, nas práticas de disciplina de BDSM, também pode ser uma punição, administrada de tal forma que o submisso seja levado à excitação sem lhe dar nenhuma chance de satisfação, às vezes a privação pode continuar ao longo do tempo até 24/7. Estamos sempre falando, quero repetir, de adultos conscientes, que aceitam voluntariamente essa prática que se realiza, como o código de ética do BDSM impõe, de forma saudável, segura, consensual.

Não esqueçamos que a consciência do próprio prazer permite vivê-lo ao máximo, cria cumplicidade com o parceiro e proporciona sentimentos muito intensos. A consciência dos ritmos do corpo é mais controlada em casais Kinky(praticantes do BDSM) em que os papéis são previamente combinados e definidos, mas também casais baunilha (pessoas não praticantes do BDSM) podem se divertir criando seu próprio panorama sensorial pessoal, com algumas regras que podem ser inseridas de forma lúdica para quebrar a rotina.

Por fim, mas não menos importante, para os homens que talvez eu não tenha convencido, estou escrevendo um bilhete … quem sabe quantos de vocês com Redtub, Brasileirinhas e afins deixaram de bater uma, desistiram para não estragar o desempenho com sua companheira chegando em sua casa … ou pelo contrário , muitos outros terão se dedicado à masturbação com algumas horas de antecedência para não acabar com tudo num piscar de olhos. É também deste “controle de orgasmo” que estou falando, então podemos chamá-lo amigavelmente de “vamos causar uma boa impressão esta noite meu amigo”, mas em qualquer caso não há nada de errado em querer viver a sexualidade no seu melhor, todas as estratégias possíveis para ser mais feliz são bem-vindas.

Resumo Geral

A privação vai intensificar o prazer seja do seu parceiro ou o seu mesmo. O estimulo, ou falta dele no momento certo pode render orgasmos múltiplos e intensos quando o mesmo for concedido.

Vocês não precisam ser praticantes de dominação e submissão para realizar esta fantasia. Imagine o seguinte, de manha você beija seu parceiro (a) de maneira sedutora, começa a estimular seu sexo ate que o mesmo(a) implore para que você de mais. E você para e provoca dizendo que deseja que esta vontade de sentir o gozo por suas mãos(boca/vibradores) seja um pensamento repetitivo para ele (a) até que você volte.

Sim, a pessoa mesma pode quebrar a regra e se aliviar quando você se for. Mas , não será a mesma sensação se ela o fizer. E se ele estiver de acordo com o jogo, não o fará, justamente para poder experimentar o prazer da privação.

Durante o momento que estejam separados, isto pode ser alguns minutos, horas, dias talvez, continue o jogo provocante, mensagens de texto, fotos, áudios, vídeos, músicas (tudo sensual e erótico) , você pode dizer o quanto e como quer senti-lo (a) e quando ele (a) menos esperar você chega com uma fome voraz de tirar tudo dele(a), provocando a exaustão e por fim conceder a misericordiosa libertação. Como já citado antes você pode amarrar teu parceiro, e estimular até que o mesmo (a) clame por piedade orgasmática. Privação ou negação pode ser um poderoso aliado na intimidade do casal. E eu duvido que depois disto, vocês colocarão em pratica somente uma vez. Para muitos será praticamente uma rotina.

Quanto se sente o orgasmo libertador depois de tanta privação e provocações fica impossível não desejar mais e mais.

Boa foda para todos! Beijos da Afrodite

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: