Ramon – O Encontro parte dois

Ramon tira sua roupa e então aproxima seu corpo do meu, e com sua boca me chupa, mas desta vez ele não tem pressa, quer cumprir o que prometeu em sua última mensagem antes de nos reencontrarmos. Sua língua faz pequenos giros em volta do meu clitóris e seus dedos acariciam minha carne, me deixando louca de tesão. Vê-lo na minha frente, sentir sua boca em mim é algo muito sensual. Ponho minhas mãos em seu cabelo, puxando-o delicadamente ao tentar aquietar minha respiração bastante arfante. Ramon continua com sua boca em meu clitóris e agora desliza sua mão por meus seios, apertando e acariciando meus mamilos. Quase explodindo em um gozo intenso, com a voz falha suplico:

_Ramon meu amor, eu preciso de você agora!

Ele me penetra devagar, preenchendo a minha buceta por inteiro. Trazendo seu rosto para perto do meu, ele me beija enquanto aumenta a velocidade de suas estocadas. Não tenho mais controle de meu corpo, rebolo por baixo de Ramon e ele me fode ainda mais forte. Gozo em seu pau e ele continua seus movimentos até que aperto a base de sua rola com minha buceta, ele geme alto, arqueando seu corpo para trás. Ele não se demora e me preenche por completo com sua porra quente e desaba ao meu lado, me puxando para seus braços. Ficamos abraçados, olhando para o céu esplendoroso, que acabara de presenciar nosso momento de prazer e carinho.

Nos vestimos pois a qualquer momento alguém poderia nos surpreender, a adrenalina ainda corria em nossas veias. Pego nossas taças novamente e sirvo mais vinho, o que Ramon acabou de fazer comigo foi mágico e eu precisava molhar meus lábios que estavam secos. Ramon nos serve os aperitivos e trocamos beijos, olhares e carícias, ainda existe fogo em nós. Nossa conversa sob a luz do luar se estendeu até o início da madrugada.

Depois de chegarmos em casa, transamos de novo pois nosso desejo não havia passado. Tomamos um breve banho juntos e adormecemos exaustos.

 Acordo com os beijos de Ramon em meu rosto e seu olhar buscando os meus, me diz:

_Como queria dormir e acordar com você todos os dias, estar ao seu lado me faz um homem melhor. E a possibilidade de poder foder você sempre, me faz querer não te deixar ir.

Fico emocionada com as palavras de Ramon e por mais que eu negasse eu também me tornei uma pessoa melhor desde que ele chegou em minha vida. Claro, eu também sentia vontade de ficar e tê-lo em mim sempre.  Contendo as emoções, respondo:

_Enquanto isso não é possível, que tal aproveitarmos as poucas horas que nos restam?

Ramon entende minha provocação e me beija. Eu acordei sedenta dele e aproveito seu corpo já confortável na cama e tiro sua roupa, deixando-o nu. Não perco tempo, me sento em suas coxas e começo a manusear seu pau que em segundos já está duro. Deslizo minha bunda um pouco mais para baixo, de maneira que minha boca consiga alcançar seu membro agora totalmente ereto, passo minha língua por toda a extensão, subindo do seu períneo até sua glande, lambendo, mordiscando, punhetando e por fim engolindo por inteiro, sem deixar nenhuma pele de seu pau para fora. Ramon geme, e eu ainda estou longe de cansar, preciso tê-lo em minha boca, não sei quando estaremos juntos novamente, essa maldita distância nos castigava!

Ele segura meus cabelos durante todo o tempo em que mantenho minha boca nele. Então ele me puxa delicadamente para um beijo e invade minha boca com sua língua quente e eu retribuo. Ele tira a fina camisola que visto, arremessando-a para o outro lado do quarto, me vira de costas, coloca um travesseiro por baixo de meu quadril deixando-o arqueado, segura minhas mãos para trás, cola meu rosto no colchão e em uma estocada apenas ele me penetra. Uma lágrima escorre de meus olhos, aquilo tinha sido extremamente prazeroso. Ramon me fode de maneira voraz, como se precisasse estar dentro de mim para sobreviver. A cada estocada eu sinto Ramon mais inchado, sua respiração agora está ofegante. Ele aumenta a velocidade e logo está se aliviando dentro de mim.

Nossas últimas horas juntos passaram rápido e o momento que eu mais queria evitar chega. Estamos na rodoviária, o ônibus que me levaria de volta à realidade já me espera. Estou nos braços de Ramon, afundo meu rosto no seu peito e uma lágrima desce silenciosa por meu rosto sem que ele perceba, não quero deixá-lo. Faltando pouco para a partida, Ramon ergue meu rosto e diz:

_Em breve estaremos juntos novamente, sentirei seu gosto e seu toque todos os dias. Foi maravilhoso te ter só para mim, mesmo que por pouco tempo. Você é minha, não se esqueça!

Nos despedimos com um beijo ardente que nos deixa com saudade imediata. Mal posso esperar para ser de Ramon novamente…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s