Desejo incontrolável

Eu bebo mais um gole da taça de vinho. Passei o dia pensando nele. Eros, o meu desejo profano cotidiano. Éramos amantes, nenhum dos dois queria sentimento, apenas sexo, o mais puro e intenso sexo.

As mensagens dele me povoam a mente, “quero você” … “estou duro pensando em sua buceta”… amanhã vou te encontrar”, “você está dentro de cada célula do meu ser …”
Me aproximo da janela pensando como seria bom, se ele estivesse aqui nesta noite quente. Penso em descer para um mergulho na piscina, mas meu celular apita mais uma vez. Eu seguro entre minhas mãos enquanto leio mais uma de suas mensagens provocantes.

_ Mostre-me o que você está usando, quero me masturbar vendo sua foto.

Eu estava usando apenas um roupão de seda preto e nada por baixo, isto com certeza o deixará duro.

O vento passa suave acariciando minha pele quente, não exatamente pela noite de verão, mas por aquele homem fonte insaciável dos meus desejos, Eros.

Me deito no sofá, abro meu roupão e arreganho as minhas pernas ao máximo, com a certeza que ele veria na foto o quanto estou molhada desejando-o dentro de mim. Envio a foto e logo ele liga e eu atendo restando em silêncio, apenas escutando sua voz intensamente quente, assim como ele.

_ Deliciosamente molhada para mim, você está pronta para ser alargada pelo meu pau…

Eu sinto uma música de fundo, não pergunto onde ele está, nunca fazíamos isto. Sem cobranças, sem compromissos, apenas prazer.

_ Ouvir sua voz sempre me deixa ainda mais excitada, Eros. Deste jeito, não sei se conseguirei resistir sem me tocar.

Ele respira fundo e eu conhecia aquele gemido, podia jurar que era como se ele estivesse sobre mim, dentro de mim. E neste momento não sei se é a música que altera meus sentidos ou escutar seu gemido do outro lado da linha, mas estou mais excitada e desesperada por ele.

_ Karoline, eu realmente queria estar dentro de você, te fazendo gritar meu nome. Eu queria chupar demoradamente seus seios perfeitos, devorar sua boceta apertada e quem sabe, me deliciar com seu cuzinho. Mas…

_ Tudo bem, eu lembro do nosso trato. Tranquilo, nos vemos amanhã.

Eu sinto um silencio quase constrangedor. Mas ele volta a me jogar na sua rede de sedução.

_ Eu vou dormir pensando em você, mas antes vou bater uma em sua homenagem, uma punheta deliciosa para a minha morena gostosa.

_ Bom saber disto, pois estou com meus dedos fazendo o trabalho que na verdade te pertence.

Ele respira pesadamente.

_Eu preciso desligar, mas te imploro me mande alguns áudios da sua brincadeira, eu pediria um vídeo, mas seria impossível assistir agora. O áudio consigo ouvir durante a reunião, tenho fones de ouvido. Vamos fazer ainda melhor, me ligue! Escutarei ao vivo você se gozar para mim.

Eu de certa forma me sinto aliviada de não estar sendo descartada à toa. Ele trabalhava muito ate altas horas, por isto nunca se envolvia, assim como eu. Eu realizaria o seu desejo.

_Tudo bem, mas te aconselho a diminuir o áudio, enquanto me masturbo para você, vou assistir os videos que você estava batendo uma punheta para mim.

_Vou fazer isto. Te espero. Beijos

Penso comigo, se ele quer ser provocado, farei em grande estilo.  Eu pego meus fones, confiro o funcionamento do microfone e ligo para ele, o microfone dele estaria no mudo obviamente, mas eu poderia falar o quanto quisesse somente ele me ouviria. Eu daria tudo para ver ele em plena reunião, escutando meu gozo em altos gemidos. Ele atende e fica mudo, como previsto, e eu começo a falar com a voz carregada de desejo.

_ Eu estou acariciando meu clitóris lentamente, imagino ser seu dedo. Eu quero tanto você aqui dentro, então, peguei o pequeno vibrador de ponto G, aquele rosa que você conhece tão bem, estou enfiando lentamente na minha buceta, já inchada querendo você. Eu estou sedenta quero ser preenchida, por favor… _ não consigo falar, tremo imaginando-o dentro de mim, minha buceta envolve ainda mais o vibrador e eu não controlo mais os gemidos. _ Eu estou gozando, não consigo parar de gozar, estou molhando minhas coxas…Eros…

Eu continuo me masturbando mesmo depois do orgasmo intenso. Eu vou descrevendo cada sensação, estou quente, suada e com ainda mais tesão do que quando comecei. Alguns minutos de gemidos e depois do segundo orgasmo, escuto sua voz, grossa, pesada, carregada de tensão sexual.

_Abra esta maldita porta…AGORA … _ ele desliga.

Eu me levanto apressada, coração acelerado. Vou até a porta, sem entender se ele realmente estava ali.
Eu alcanço a maçaneta com o coração enlouquecido. Ele está com a camisa aberta, expondo seu peitoral musculoso, ele me olha de cima em baixo e eu não deixo de notar o volume da sua grossa ereção sob a calça. Ele entra e fecha a porta atrás de si. Meu peito e sobe desce descontrolado, estou nua, suada, totalmente molhada. Ele percorre cada centímetro do meu corpo com seu olhar febril e apenas diz.

_Quero que se coloque na mesma posição em que estava, quando estava gozando para mim!

Obedeço rapidamente, com o rosto vermelho pelo pedido que acabei de receber, vou até o sofá recentemente abandonado, deito-me, levanto as pernas e arreganho todo o meu íntimo.

Ele tira sua camisa lentamente, e poucos segundos depois ele está totalmente nu, ele se aproxima a passos rápidos, meu ser é abalado por sua expressão, ele está me olhando com uma dureza e uma excitação que eu nunca tinha visto antes.

Eu imploro silenciosamente e ele lenta e implacavelmente se aproxima, e me beija demoradamente, acariciando meus seios, sua ereção pressionada na minha buceta, me faz erguer os quadris, mas ele sem dizer nada se abaixa entre minhas coxas, levanta minhas pernas colocando-as em seus ombros, sua língua toca meu clitóris já sensível e eu grito de prazer, gemendo seu nome. Ele não para e afunda dois dedos dentro de mim os flexionando até eu começar a rebolar em busca de alivio. 

E como se estivesse chupando um sorvete, com uma deliciosa e tortuosa lentidão, ele novamente me dá um prazer intenso, a mão no meu tornozelo levanta a minha perna, e ele posiciona seu majestoso pau na minha buceta, seus dedos acariciam meu clitóris enquanto a pressão de sua ereção me arreganha para ele.

As estocadas começam de forma violenta, desesperadora, e estou surpresa com um novo tremor, cada vez mais profundo, eu estou gozando com sua penetração e ele continua inabalável o que me deixa ainda mais vulnerável sob ele.

Ele sai de dentro de mim, me beija quase me deixando sem fôlego, ele me gira me colocando de quatro, eu agradeço por não continuar vendo a tamanha intensidade que queimava em seus olhos. E com certeza era a mesma que eu estava denunciando nos meus.

Ele me agarra pelos cabelos e me puxa para ele, ele empurra com força até estar até o talo dentro de mim. Não satisfeito, ele solta os meus cabelos e segura forte meus quadris, estocando com toda a sua virilidade, com todo o seu desejo, dentro de mim cada vez mais profundo, eu apenas apoio o mais baixo possível meu rosto no sofá, enquanto ele me fode como nunca fez antes. Sem palavras, apenas os gemidos escapando de nossos lábios. Seus movimentos aceleram e ele continua me dando golpes que me abalam dentro e fora, palavras indefinidas saem de minha sua boca enquanto eu molho seu pau e todo o sofá abaixo de mim.

_ Isso gostosa aperta meu pau… delicia…

Estou tremendo e ele empurra mais algumas vezes, enquanto blasfema e treme apertando minha cintura. Eu sinto seu gozo quente dentro de mim e eu respiro fundo, extasiada, preenchida, desejada.

Mas nunca saciada, com Eros eu vivia em um cio eterno. E depois daquela noite seria impossível negar que o efeito é recíproco.

Ele me puxa com ele para o sofá, ainda estamos conectados, pulsando, batimentos acelerados e respiração ofegante. Sua voz quente e grave sussurra no meu ouvido.

_ Quando ouvi sua voz tão cheia de desejo, mandei para o inferno a reunião, peguei o carro e dirigi desesperado para cá. Karoline … você é uma tentação, você me faz perder o controle. E você sabe que amo estar no controle. Você me desestruturou e agora vai pagar por isto, eu não vou embora enquanto eu não estiver saciado…

Eu aperto seu comprimento dentro de mim de maneira ritmada e ele geme. Seu pau pulsa e começa a inchar novamente, lentamente e isto, me deixava ainda mais quente.

_ Pois eu não pretendo te deixar ir, enquanto eu não estiver satisfeita, e como você pode ver, eu quero mais Eros, quero muito mais…

Continua.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s