Pular para o conteúdo

Desejo reprimido

Hoje no fim do expediente meu suplício chegará ao fim, estou cansada de desejar o que não está a meu alcance, meu chefe Lucian me deixa louca de tesão com aqueles ternos bem ajustados ao seu corpo magnífico, já perdi a conta de quantas vezes me toquei pensando nele, quantos orgasmos eu já tive desejando que ele estivesse comigo na cama, debaixo do chuveiro, na bancada da cozinha e principalmente em cima da mesa do escritório dele, esta era a minha fantasia preferida.

Fui contratada temporariamente para ser sua assistente particular, enquanto a titular está de licença.

Para meu último dia no escritório resolvo ousar na produção coloco uma saia lápis um pouco mais curta que as de costume uma blusa decotada que uso sem sutiã e vou sem calcinha .

Eu tento me concentrar no trabalho apesar de querer colocar meu plano em prática o mais rápido possível. Estou perdida em meus devassos pensamentos quando sou interrompida.

__ Bom dia Elizabeth, animada para o seu último dia como minha assistente?

__ Bom dia Lucian, pelo jeito você não vê a hora de se ver livre de mim.

__ Eu não disse isso, quero saber se já tem planos para depois  que sair da minha empresa?

__ Sim eu vou passar uma semana na praia antes de começar no novo emprego.

__ E você usa maiô ou daqueles biquínis pequenos que deixam pouco a imaginação? _ ele me provoca

__ Porque o interesse Lucian?

__ Deixa pra lá Elizabeth, foi apenas… bom,  vamos começar o dia. Me acompanhe até minha sala, tenho uns e-mails para você responder .

__ Já estou indo.

Ele me instrui nas respostas dos e-mails e me dispensa , quando estou saindo da sala deixo cair um papel e me abaixo para apanhar, escuto um suspiro.

__ Acho que essa manhã a senhorita esqueceu de algo.

__ Eu esqueci? _Engoli em seco custando acreditar que estávamos conversando sobre isso.

Seus olhos se movem em minha direção e vejo um brilho diferente

__ Acho que  esqueceu algo muito importante hoje.

Lentamente nego com a cabeça e ele sorri.

 Lucian ofega e aperta os braços da cadeira.

__ Apreciando a vista? _ Sinto minha pele formigando diante daquele olhar faminto que ele direciona a mim.

 __ Cuidado Elizabeth, você está brincando com fogo!

__ Talvez eu queira me queimar Lucian.

Ele parece surpreso com minha provocação, ele se move na cadeira e eu saio apressada da sala. Depois dessa conversa sinto a umidade escorrer nas minhas pernas aquele homem abala minhas estruturas, tento ficar o resto do dia fora do alcance dos seus olhos porque acho que seria capaz de me oferecer para ele e pedir pra ele me foder em cima da mesa dele.

No fim do expediente meus colegas fazem uma pequena festa de despedida para mim. Mesmo com pouco tempo de trabalhado fiz algumas amizades e fui muito bem recebida.

Estávamos no fim da festa, reunidos conversando perto derepente Lucian chega cumprimenta todos de forma amigável, conversamos amenidades por um tempo as pessoas se dispersam e de repente ele me faz um pedido

__ Elizabeth venha até a minha sala tenho um último assunto a tratar com você.

__ Vamos… _ estou com o coração acelerado e quente imaginando os próximos minutos.

__ Você  vai na frente adoro ver o balanço dos seus quadris, agora eu posso dizer isso não sou mais seu empregador.

__ É só isso que gosta em mim Lucian?

Ele aproveita que o corredor está deserto  me encosta na parede me beija sofregamente

__ Eu gosto de você inteira, eu fiquei maluco quando você veio trabalhar para mim,  você me deixou duro seis malditos meses, você não faz ideia de quantos banhos frios eu tomei para tentar apagar esse incêndio que você causa em mim, quantas vezes me masturbei no horário do expediente pensando em como seria te possuir sobre a minha mesa.

__ Eu também me masturbei diversas vezes pensando em você e até nisso somos parecidos a minha fantasia favorita era você me possuindo sobre a sua mesa.

Ele me encosta na parede e me beija desesperadamente. Suas  mãos não param exploram meus seios. Em um movimento rápido, ele levanta a minha saia  e mergulha seus dedos em minhas dobras encharcadas. Ele retira seus dedos lentamente e meu gemido agora é de suplício para que ele continue, ele me puxa pelas mãos, me levando para dentro da sua sala.

__ Deixa eu ver seu pau quero ver se minha imaginação estava certa._ confesso despudoradamente minha vontade.

__ Primeiro quero assistir seu rosto enquanto você acaricia a sua buceta, assisitir como é quando gozas,  então talvez  eu  mostre a você .

__ Lucian…

__ Arreganhe essa  buceta e me mostre o quanto você me quer.

Como se minha mão tivesse vontade própria alcanço minha buceta lisa e dolorida, corro dois dedos pelos lábios molhados, arrastando a umidade pegajosa para cima, e quando eles tocam o meu clitóris, meu corpo arqueia em uma grande onda de prazer.

_ Isso Elizabeth… _ brinque com essa buceta pra mim

Eu não conseguia acreditar no que estava fazendo, mas sabia que nunca iria querer parar. Quando deslizo dois dedos dentro da minha buceta Lucian geme  avidamente.

__ Porra! Elizabeth. _ ele geme.

Os jogos chegaram ao fim quando ele cedeu ao seu desejo, liberando sua grossa ereção, me deixando ainda mais louca de tesão com aquela visão.

__ Me foda Lucian!_ engasgo enquanto meus dedos mergulham mais fundo na minha buceta enquanto  assistia ele se masturbar.

 Ele geme profundamente e acena com a cabeça lentamente. Seu olhar duro e sem piscar,  observando os meus dedos mergulharem dentro e fora na minha buceta apertada.

  __ Caralho sua buceta é tão perfeita quanto pensei que seria, e toda minha agora.

__ Sim toda sua.

Ele se aproxima das minha pernas.

__ Me dê sua mão Elizabeth…

Ele impaciente,  segura o meu pulso retirando os meus dedos dentro de mim ele os  leva até seus lábios chupando demoradamente um de cada vez.

Meu corpo só queria explodir diante daquela visão dele com meus dedos em sua boca.

__ Seu sabor é melhor do que imaginei  isto foi apenas um gosto agora eu vou pegar o resto.

Ele me beija com voracidade enquanto mete dois dedos na minha buceta.

Ele me puxou para os seus braços aprofundando o beijo. A cada movimento de sua língua em minha boca, aumentavam as pulsações entre minhas pernas. Ele me colocou na mesa me puxando para ele.

Sua boca desceu lentamente pelo meu pescoço e ávida caiu sobre meus seios. Ele os chupou com desejo enquanto lentamente seus dedos me penetraram. Eu gemia e sussurrava seu nome implorando por mais. Ele aumentou a velocidade dos movimentos de seus dedos dentro de mim.

Eu tremi todo meu corpo, me contorcendo em um orgasmo profundo. Seus olhos buscaram os meus e eu nunca vi tanta intensidade e paixão. Abaixei o meu olhar mas ele alisou meu rosto com tanta delicadeza que me fez suspirar. Seus dedos ergueram meu queixo e ele me beijou com ainda mais desejo. Os dedos de sua outra mão ainda dentro de mim, me fazendo gemer em seus lábios. Eu não conseguia mais me controlar. E molhava seus dedos abundantemente.

_ Você é muito mais gostosa do que eu pensava. Eu preciso te penetrar agora!

Diante de suas palavras eu me segurei com força em seu corpo assim que ele retirou seus dedos de mim. Me deslizei por seu corpo musculoso e me virei,  me apoiando na mesa. Ele rapidamente segurou meus quadris e me penetrou com toda sua força. Não queríamos falar, não existiria palavras para tanto desejo. Sua ereção deslizando para dentro e fora de mim, me mostrando todo o seu desejo acumulado, suas mãos segurando meus cabelos de maneira possessiva e isto me deixava ainda mais cheia de tesão.

_ Me fode com força,  dê-me mais por favor…

_Oh! Querida! Não vou te deixar na vontade…

Ele segurou meus quadris e gentilmente se retirou lentamente, voltando para dentro de maneira tortuosa. Diante do meu lamento ele se curvou sobre mim.

_ Se você continuar gemendo assim, vai despertar a fera dentro de mim. E eu não sei se vou conseguir controlar…

Eu aperto sua ereção dentro de mim, e ele geme enquanto eu falo:

_ Quero seu descontrole….

Nenhuma palavra foi dita, ele acelerou os movimentos dos seus quadris de maneira insana. Sua ereção dentro de mim me preenchia deliciosamente e eu gemia descontrolada. Gozei novamente enquanto ele me penetrava ainda mais profundo. Eu estava tentando me recompor quando ele me puxou para o sofá da sala onde nos deitamos de lado e ele me penetrou novamente.

Seus dedos envolveram meus mamilos, sua ereção em golpes contínuos, minha buceta envolvendo cada vez mais seu comprimento.

Quando sua mão deslizou para o meu clitóris eu me perdi de uma maneira indescritível. Senti seu gozo quente me preencher enquanto eu novamente estava tremendo com outro orgasmo.

Ficamos abraçados por um longo tempo. Tudo tinha sido melhor do que pensei. Ele mordisca minha orelha.

_Foi incrível.

Seus olhos buscam os meus e antes que eu pudesse tentar decifrar algo, seus lábios estavam novamente se perdendo nos meus, em um beijo intenso.

Eu não podia me deixar levar por toda aquela intensidade. Eu queimava de desejo eu tinha provado do sabor dele e tinha adorado, mas não estava pronta para uma segunda dose.

Quando ele se afastou e lentamente saiu de dentro de mim, eu via um sorriso satisfeito em seus lábios, mas  em seus olhos existia mais do que eu esperava.

Talvez ele estivesse convencido com mais uma conquista. Eu também deveria estar, desejei, provoquei e consegui.

_ Vou pegar uma garrafa de vinho para nós, as que guardo no frigo do almoxarifado. _ ele diz enquanto se veste.

Eu sorrio para ele. Quando ele se afasta eu rapidamente me visto e escrevo um bilhete.

” Foi bem melhor do que imaginei. Obrigada pelo tempo juntos.” Adeus.

Eu saio apressada para as escadas, ele estaria voltando em minutos, o almoxarifado ficava no terceiro andar estávamos no oitavo.

Quando finalmente chego no térreo, respiro aliviada. Meu telefone toca. Respiro fundo e ignoro a chamada. “Era somente uma aventura, lamento Lucian.” Disse a mim mesma tentando reforçar o que eu tinha escolhido sentir.

Já se passaram duas semanas de quando deixei a empresa de Lucian e comecei a trabalhar na Berutti corporation. Eu estava animada com o trabalho e já tinha começado a me acostumar.

Lucian tentou falar comigo nos dias seguintes da minha saída de sua empresa. Mas eu não o respondi, eu ainda estava tentando entender o que tinha acontecido entre nós,  toda a intensidade.

Digito as últimas linhas da minha planilha. Quando escuto a voz de Silvia a recepcionista da empresa.

_ Fiz questão de trazer para você!

Me viro lentamente e  vejo um enorme buquê de rosas vermelhas em seus braços.

_ Obrigada. São lindas. Que lindo gesto de boas-vindas…

Ela me olha divertida quando coloca o arranjo em minha mesa.

_ A empresa é boa para os funcionários. Mas a recepção de boas-vindas não passa de um voucher e um e-mail de boas-vindas. Isto parece de alguém bem interessado em te conquistar…

Eu fico sem entender por um segundo. Ela aponta para o cartão em meio às rosas, eu abro o envelope e meu coração acelera quando leio a mensagem.

“Perdoe-me por minha insistência. Sei que isto pode parecer uma atitude piegas e démodé. Mas eu quero que você saiba que não foi apenas sexo. Eu preciso te encontrar novamente. Apenas uma chance. Jante comigo hoje no Les Folies?”

Ele não vai desistir e eu sorrio por dentro com a excitação de encontrá-lo novamente.

Eu queria apenas uma transa, mas depois do que provei naquela dia, talvez eu deva deixar acontecer e me deliciar de Lucian mais uma vez…

Continua…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: