Amor Intenso Amor – Capítulo 23

Quando entramos no quarto, ele me coloca no chão e sou eu quem o abraço, sentindo seus braços fortes me envolverem. Ele se afasta um pouco e liga o som no quarto conectando com seu celular, eu o olho confusa.

_ Relaxe, apenas tente meu amor… me deixe tentar te fazer acalmar.

_ E quem vai acalmar você, Lucca?

_ Se você ficar calma, eu estarei em paz. Não vou conseguir viajar se você estiver assim.

A música invade o ambiente, ele me puxa para os seus braços e começa a dançar comigo. *ALL YOUR LOVE (JULIA WESTLIN) *

Nossas respirações estão sincronizadas e o contato dele com a minha pele me toca profundamente. Eu suspiro contra o seu peito.

Ele abaixa seu rosto e me beija apaixonadamente eu me entrego em um gemido em seus lábios, ele mordisca meu lábio.

_ Me diz, você está mais calma?

_ Sim, obrigada…

Ele alisa minhas costas e um arrepio percorre todo meu corpo, ele percebe e continua dançando comigo me provocando e eu me pego fechando os olhos desejando que ele me jogasse na cama. Ele me faz abrir os olhos quando sussurra.

_ Eu preciso desesperadamente fazer amor com você.

_ Não estou te impedindo, estou esperando…

Ele fica ainda mais bonito sorrindo. Ele tira o meu vestido e se libera de sua bermuda, liberando a prova do seu desejo mais que evidente. Ele tenta me colocar na cama, mas eu o faço deitar, e me coloco entre suas pernas, ele morde o lábio ao perceber o que estou prestes a fazer. Eu aliso sua ereção, dou uma lambida lenta na glande e engulo até senti-lo em minha garganta. Lucca solta um gemido alto e puxa meus cabelos. Mentalmente eu sorrio, o lobo está pronto para me devorar, e tudo tem que ser inesquecível, vamos acabar com isto com estilo. 

Eu alterno o movimento de vai e vem da boca, sempre relaxando o máximo minha garganta para acomodá-lo, em alguns momentos eu dou mais atenção na glande e volto até o talo passando a língua até tocar a base de sua pele. Ele empurra os quadris e solta palavrões em italiano, eu busco seu olhar, ele está apoiado em seus braços, seu peitoral definido bem evidente e seu olhar é algo selvagem. Eu faço mais alguns movimentos e estou disposta a ir até o fim, mas ele me puxa rapidamente para o seu colo, ao perceber o quanto estou molhada, ele me penetra em um só golpe, e me fode desesperadamente, beijando meus seios. 

Eu rebolo, tento controlar o ritmo, mas ele é mais rápido do que consigo dominar

Eu rebolo, tento controlar o ritmo, mas ele é mais rápido do que consigo dominar. Não demora para que o calor da fricção dele castigando a zona mais erógena dentro de mim. Eu grito seu nome tremendo, molhando suas coxas e ele me segura, invadindo minha boca em um beijo. As suas estocadas não cessam até ele explodir dentro de mim, dizendo o quanto me ama.

Eu não seria a mesma após o Lucca e isto poderia ser uma benção ou uma maldição. Estávamos tão cansados que novamente adormecemos. 

Acordei com Lucca se movimentando em um sono agitado

Acordei com Lucca se movimentando em um sono agitado. Eu olho as horas e já se passavam das cinco da manhã. Ele está com a testa suada, ele murmura palavras desconexas e se vira várias vezes na cama. Eu aliso seus cabelos, dou um beijo leve em seu rosto e sou pega por seu olhar sonolento.

_Desculpe, eu não quis te acordar.

_ Você me salvou de um pesadelo amore mio. _ Ele me puxa para os seus braços.

_ Você nem comeu, Leona…

_ E nem você, Lucca. Tínhamos outras urgências.

_ Urgências que eu terei sempre com você minha linda. Você está com fome?

_ Sim, um pouco. Mas estou com mais urgência do seu chuveiro.

_Eu posso te fazer companhia? Prometo me comportar. Vou ser rápido para ir para cozinha preparar algo para nós, vou trazer aqui.

_ Claro, eu também prometo me comportar.

O banho apesar de ter sido cheio de provocações, nos renovou, estávamos mais leves e tudo estava mais calmo. Lucca foi para cozinha e eu enxugava meus cabelos de frente ao espelho. Olhava as marcas por meu corpo, elas me acompanhariam por alguns dias. Não me preocupavam, podia escondê-las com maquiagem. Mas as marcas que ele tinha deixado dentro, estas eu necessitaria de muita vodca e espirito livre para preencher os espaços que ele deixaria em poucas horas.

Escuto seus passos, pego o roupão e o encontro colocando uma grande bandeja, com suco, água, frutas, omelete, presunto, melão e alguns queijos.

_ Você preparou omelete? Será tão bom quanto seu risoto?

Ele pega um pouco no garfo e me dá na boca.

_ Se você não gostar juro que volto para a cozinha para tentar fazer outro do jeito que você desejar.

_ Está delicioso.

Ele abre um grande sorriso, e me puxa para os seu colo.

_ Você é deliciosa.

_ Lupo, comporte-se ou vamos morrer antes da sua viagem.

Ele me beija e eu me liberto dele, eu sento-me à sua frente. Fizemos a refeição, como um casal que já se conhecia há um tempo, felizes, cúmplices e com muito carinho um pelo outro. E todas as vezes que os pensamentos ruins surgiam na minha mente eu os afastava concedendo a mim mesma mais algumas horas no nosso mundo.

Não conseguimos mais dormir após o café da madrugada, conversamos até a noite desvanecer, deitados em um sofá no terraço, abraçados.

_ Ao menos o nascer do sol eu poderei te conceder, antes de partir.

Ele sorri para mim e eu retribuo.

_ Eu te perdoo por não me conceder o pôr do sol, porque este amanhecer está sendo espetacular.

Ele me aperta ainda mais, e me beija percorrendo suas mãos no meu corpo, suas mãos alisam minhas coxas nuas por debaixo do roupão e eu as aperto, ele mordisca minha orelha.

_ Que bom que você me perdoa, que bom que você está achando este nascer do sol espetacular. Ele veio para nos lembrar que depois da noite escura o sol está sempre aqui, até mesmo nos dias cinza. E eu te amo, e eu quero você agora.

Dou uma risada e beijo de volta.

_ Tu sei… Un gioco che non vinco mai
Il mio sbaglio più grande che rabbia che mi fai
La trappola dei giorni miei… Sei
Il mio sbaglio più grande ma che rifarei_
 Cantarolo a musica da Laura Pausini.

* Um jogo que eu não venço nunca
O meu maior erro, que raiva que você me faz
A armadilha dos meus dias és
O meu maior erro, mas que eu cometeria novamente*

Ele me aperta, se gira e fica sobre mim, segurando meus pulsos sobre a minha cabeça.

_ Hai voglia de provocarmi? Io ci sto. E aspetto veramente che tu sappia tutto che dice in questa canzone.

*Desejando me provocar? Eu aceito. E espero de verdade que você saiba tudo o que a letra desta música diz. *

Ele segura meus pulsos com uma de suas mãos e a outra desce abrindo meu roupão e expondo meus seios. Eu tento me libertar, mas ele sorri divertido.

_ Você terá que ser mais convincente para que eu te solte. Você realmente quer que eu te solte?

Eu nego, e ele com um sorriso vitorioso continua sua exploração safada pelo meu corpo, ele aperta, belisca, mordisca e chupa meus seios. Eu tento me controlar, mas falho gemendo. Ele solta meu mamilo e desce a mão entre minhas coxas e constata o que eu já sentia.

_ Extremamente molhada, trêmula, e com estes doces olhos me fixando. Agora você é minha gatinha e não a leoa dos últimos dias. Está pronta para ser devorada?

Eu nego com a cabeça e tento me libertar, ele ergue a sobrancelha e sorri divertido.

_ Você precisa de um incentivo?

_Estou esperando o seu melhor!

Seus olhos brilham, ele solta meus pulsos, me puxa para os seus braços e me joga na cama, puxando minhas pernas em seguida para a lateral da cama, ele alisa meu clitóris e eu inclino meu quadril. Ele penetra dois dedos dentro e me toca freneticamente, o seu polegar sobre meu clitóris fazendo a justa pressão. Meus olhos fixos no seu corpo delicioso inclinado sobre mim e seus olhos observando cada movimento meu. Não demora para eu estar jorrando em suas mãos e ele esboçando um sorriso vitorioso nos lábios quando estou ainda trêmula. Ele alisa sua ereção e se deita sobre mim me puxando com ele para o meio da cama. Ele olha em meus olhos quando me penetra com dificuldade depois do meu orgasmo.

_ Tu me fai impazzire, non riuscirò a lasciarti…

*Você me enlouquece, não conseguirei te deixar…*

Ele me penetra profundamente e segue ritmo alucinado até gozarmos juntos, ofegantes. O eu te amo escapou de nossas bocas como um mantra enquanto nossos corpos explodiam em desejo.

 O eu te amo escapou de nossas bocas como um mantra enquanto nossos corpos explodiam em desejo
O sol já estava quente quando deixamos a ilha, Lucca estava concentrado, sério pilotando o iate, e eu tentava agir naturalmente

O sol já estava quente quando deixamos a ilha, Lucca estava concentrado, sério pilotando o iate, e eu tentava agir naturalmente. Eu não podia mostrar o quanto estava abalada. Em alguns minutos ele estava desligando os motores. Eu me levantei do seu lado para ir buscar minha mala que ele tinha levado para baixo no quarto.

_ Eu preciso que você venha comigo embaixo.

_ Não temos tempo para isto, Lobo. _ Brinco. Mas sua mandíbula mostra seu nervosismo.

Ele me ajuda descer, sobre os lençóis ainda bagunçados do nosso sexo da noite anterior, pude ver uma caixa com rosas vermelhas dentro e no meio uma caixa de joalheria. Eu encaro seu rosto, ele entende minha expressão.

_ Antes que você exploda em raiva, por favor, eu só queria te dar algo para você pensar em mim neste tempo que não estarei aqui

_ Antes que você exploda em raiva, por favor, eu só queria te dar algo para você pensar em mim neste tempo que não estarei aqui. Abra, Leona.

_ Bastava as rosas se quisesse me fazer uma surpresa.

_ As rosas vão secar em poucos dias. As joias não!

_ Joias? Uau, mais de uma…

Ele passa as mãos pelos cabelos. Apesar de seu terno bem alinhado e seu rosto perfeito, a tensão sobressaía a todo resto.

 Apesar de seu terno bem alinhado e seu rosto perfeito, a tensão sobressaía a todo resto

Eu abro a caixa e não posso deixar de ficar tremendo com o conteúdo. Um anel cravejado de strass e do lado uma pulseira dourada e o que me chamou atenção foi o pingente. A metade da cabeça de um leão, com a metade da cabeça de um lobo formando assim uma peça única, ambos usando a mesma coroa.

 A metade da cabeça de um leão, com a metade da cabeça de um lobo formando assim uma peça única, ambos usando a mesma coroa

_ São lindos, Lucca. Mas eu não posso aceitar … são joias lindas, mas diante a nossa situação não posso aceitar…

_ Eu te imploro, eu preciso que você as aceite. Seria um gesto seu me dando um fio de esperança, apenas um sinal de que estes dias valeram a pena. Um sinal de que eu tenho ao menos uma mera chance. Amore mio ti prego, me metto in ginocchio…* Meu amor eu te imploro, eu fico de joelhos…*

_ Não por favor, você entende que o anel é algo que simboliza um compromisso certo?

_ Eu sei exatamente que significa. Eu mandei fazer as duas peças a alguns dias atrás, por isto o Lobo e a Leoa. São diferentes, mas se encaixam perfeitamente, se tornando algo novo.

Eu fico emocionada com suas palavras. E deixo escapar uma maldita lágrima que tento enxugar sem ele perceber, mas ao levantar meu olhar vejo que já é tarde.

_ Eu não quero te pressionar, sei que meu ato desesperado talvez te possa sufocar, perdão…

Vendo seu constrangimento, eu respiro fundo e penso que eu tinha aceitado dar uma chance mínima que seja de me deixar levar. Por mais que isto acabasse, ao menos uma lembrança e uma esperança teríamos. Ele precisava disto e eu também.

_ Tudo bem. Eu entendi que você precisa disto, talvez eu também precise. Mas o anel é demais. Não posso aceitar. Eu aceito a pulseira. O anel você me dará se…

_ Eu vou voltar amore mio. Eu fico feliz que ao menos a pulseira você usará. Eu vou guardar o anel e será a primeira coisa que farei quando você me aceitar, quando eu voltar para a sua vida. Eu preciso que você use esta pulseira e quando você começar a me esquecer ou as dúvidas te consumirem, que você olhe para o pingente da pulseira e se lembre de nós.

Ele me abraça e me beija lentamente, quase nos arrastando para a cama. Eu faço ele me soltar.

_ Lucca… não podemos.

Jogando a cabeça para trás ele fecha os olhos e os abre lentamente.

_ Você tem razão. Tenho que te levar para a casa.

Seguimos para o cais, seu motorista está esperando para carregar nossas malas. Entramos no carro ele me abraça e beija o tempo todo. Eu nunca controlei tanto um choro. Eu estava trêmula e ele já tinha percebido, eu não podia chorar mostrando ainda mais fragilidade.

 Eu estava trêmula e ele já tinha percebido, eu não podia chorar mostrando ainda mais fragilidade

Quando chegamos em minha casa, ao descermos do carro, Lucca insiste em levar minha mala para dentro da casa, entrando com ele pude perceber que todo o tempo seus homens nos seguiram. Ao abrir a porta de casa eu desligo o alarme e ele observa que ainda estou tremendo.

_ Eu posso fazer algumas ligações e viajar mais tarde. Eu…

_ Lucca, está tudo bem. São apenas algumas emoções que não estou acostumada. Vai ficar tudo bem. Você precisa ir e eu não poderia me perdoar se você tiver complicações por minha causa.

Ele me beija e nossa respiração logo fica ofegante. Ele alisa os seios sob o vestido e eu me pressiono involuntariamente contra ele. Ele geme na minha boca.

_ Não é o tempo que eu gostaria, mas o suficiente para uma despedida rápida amore mio, eu preciso de você

_ Não é o tempo que eu gostaria, mas o suficiente para uma despedida rápida amore mio, eu preciso de você.

_ Sim, por favor…

Ele levanta minha saia e me coloca na ilha da cozinha me puxando para a borda, ele alisa minha calcinha molhada e geme. Eu tento alcançar sua ereção, mas ele mesmo a liberta, me olha com um sorriso provocante.

_ Desculpe.

Antes que eu pudesse reclamar, ele faz como da última vez, rasga a minha calcinha e me penetra apertando meus quadris contra os seus com urgência, eu puxo sua camisa e sem nenhum pudor, mordo, chupo seu pescoço, sua orelha. Ele me beija e vai mais profundo eu tremo gozando e chorando descontroladamente. Ele explode em seguida me preenchendo completamente com seu gozo abundante me fazendo senti-lo escorrendo pernas abaixo.

_ Eu te amo, Leona. Eu te amo de uma forma inexplicável. Te amo amore mio.

Eu respiro fundo com ele enxugando minhas lágrimas, beijando cada uma delas. Quase que se como um adeus eu sussurro.

_ Eu também te amo, Lucca.

Permanecemos abraçados por alguns instantes. Até o telefone dele começar a tocar insistentemente. Ele fica tenso e blasfema em italiano.

_ Eu tenho que ir, mas eu farei tudo para voltar o mais rápido possível.

_ Boa viagem, Lucca. Eu o acompanho até a porta tentando me recompor.

Ele me abraça mais uma vez e me beija. Depois ele me solta e vai embora.

Eu fecho a porta e desmorono. O choro que segurei todo o tempo escapou de forma abundante. Eu simplesmente não conseguia parar. Peguei meu telefone para mandar uma mensagem para Lais.

 Peguei meu telefone para mandar uma mensagem para Lais

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s