Amor Intenso Amor – Capítulo 27

Ele se aproxima do meu rosto, cola sua testa na minha, os olhos dele ainda estão marejados. Ele enxuga minhas lágrimas e continua.

 Ele enxuga minhas lágrimas e continua

_Amanhã seu pai virá te encontrar. E você pode hospedá-lo aqui, se ele quiser ficar. Você pode trazer a Lais, o Paolo quem você quiser. Só te peço que fique segura ou não terei paz para terminar o que comecei. Eu preciso terminar isto.

_Lucca, tem tantas lacunas, tantas perguntas. Mas eu não tenho nem forças nem cabeça para elaborá-las. Mas de imediato quero saber duas coisas, meu pai sabe toda sua história? E na escola por que te chamavam de Adrian?

_ Eu me chamo Lucca Adrian DiSantis. Hoje em dia raramente uso Adrian, até mesmo ao me apresentar para alguém, pois nos negócios sou conhecido sem o segundo nome. Quanto ao seu pai, eu o conheço desde que passei a colaborar com a polícia. E eu obviamente contei quase tudo a ele sobre nós dois, minha paixão platônica. No início ele me ameaçou obviamente, mas depois disse que eu merecia uma segunda chance e você também. Lógico que ele vigiou cada passo meu. Mas observava tudo à distância. Colaborei com ele em alguns assuntos da justiça. Não somos melhores amigos, mas ele me respeita e eu faço o mesmo. Ele não queria te falar porque eu teria que contar tudo o que te contei agora, e não era o momento, aliás acredito que nem agora seja o momento. Eu precisava terminar a minha missão, estar em paz para te procurar, para te manter em segurança.

Eu respiro fundo, solto as mãos dele e me levanto, caminhando de um lado para o outro do quarto, ele me observa nervoso. Mas fica calado. Eu paro na sua frente.

_ Você sabia que eu contratei um matador de aluguel para matar o Russo? Eu achava que era ele que tinha matado aquele desgraçado, até a polícia me avisar que tinha sido alguém da máfia italiana.

_ Sim, Leona. Eu soube da polícia. Então eu pedi para que não te envolvessem, que você restasse fora de tudo e que não soubesse de mim. Fazia parte do acordo que aceitei ao entrar para colaborar.

Envergonhada por temer que ele descobrisse todo o resto, sobre as agressões que eu sofria e todo abuso, eu me viro de costas caminhando para a grande janela de vidro. Eu sinto seus passos, ele se aproxima, mas não me toca, ele apenas fala com a voz doce e baixa.

_ Eu não sou ele e jamais serei. Jamais levantaria a mão para você. Aliás para mulher alguma. Principalmente você, que amo loucamente.

Eu já não consigo me controlar, eu não era santa. Eu tinha em um ato de desespero tanto quanto ele por seus familiares mortos, decidido matar. Eu contratei aquele homem para matar Dimitry, que certamente não teve tempo de executar pois Lucca o fez primeiro. Eu me viro e me jogo nos braços dele abraçando forte, ele me abraça de volta e eu soluço em seu peito.

 Eu me viro e me jogo nos braços dele abraçando forte, ele me abraça de volta e eu soluço em seu peito

_ Eu te amo, Lucca. Não sei como isto possa funcionar, mas eu te amo.

Ele sorri, me levanta e me levando com ele para a cama, ele se senta e eu fico no seu colo, enquanto ele me beija docemente. Suas mãos preguiçosamente passeavam pelo meu corpo. Eu precisava sentir ele, eu aliso seu peito e começo a desabotoar sua camisa. Ele segura minhas mãos.

_ Eu quero muito fazer amor com você agora, te possuir profundamente. Fazer você gritar meu nome. Mas você está psicologicamente abalada. Sei que não está drogada porque mandaram os resultados do seu exame para o meu e-mail. Os testes rápidos não detectaram nada de alarmante, o que não descarta alguma substância mais ligeira  no seu sistema. Eu não vou tocar você com uma suspeita de não estar cem por cento bem. E agora você devia tomar um banho e descansar. Vou mandar preparem algo para você comer. A doutora estará aqui daqui meia hora. Ela terá que falar com você e te dar algum calmante para você dormir.

_ Se você quer me ver bem, relaxada e feliz, faça amor comigo, eu preciso te sentir dentro de mim, Lucca.

Ele geme no meu pescoço, seu corpo treme. E eu tiro sua camisa beijando seu rosto, seu pescoço, descendo por seu peito. Ele se transforma, tira rapidamente o meu vestido, arrebenta minha calcinha e me faz sentar novamente no seu colo, os nossos beijos são famintos, mas o sabor é diferente, é intenso e insano, tem dor, sentimento, paixão, tesão. Ele suga meus mamilos e eu imploro por mais, quando ele me solta, eu fico em pé um momento enquanto ele libera sua ereção, ele parece ainda maior, mais grosso do que eu me lembrava. Ele me faz montar em seu colo, mas não me penetra, sua ereção pulsa batendo na minha barriga enquanto sua boca me devora, eu gemo em seus lábios e ele rosna baixo. Ele chupa o meu pescoço com força o suficiente para deixar marcas, eu perco a respiração. Ele alisa entre minhas pernas e sua voz sai um rosnado baixo.

_ Você está molhada, pronta para mim. Você me enlouquece, desperta o lobo selvagem em mim.

Eu arqueio meu corpo contra o seu, sentindo dois de seus dedos me penetrarem, enquanto outro faz giros rápidos em volta do meu clitóris. Ele aprofunda o toque acertando o ponto mais sensível dentro de mim, eu tremo descontrolada em suas mãos. Enquanto estou gozando, outra onda de prazer me invade quando ele aperta mais forte onde já estou sensível, ele continua e outro orgasmo poderoso me invade, ele sufoca cada grito meu com seu beijo possessivo. Ele me levanta para o seu colo, eu sinto a pressão do seu membro alargando, ele me segura no lugar e eu tento descer, mas ele impede. Ele está apenas com a glande dentro de mim.

_ Shhh, não quero te machucar Leona, você está muito inchada por ter gozado, apesar de estar molhada, tenho que ir com cuidado.

Ele beija meus seios, e sentir apenas um pouco da sua ereção, já não era o bastante, tudo dentro de mim anseia por senti-lo. Ele vai deslizando lentamente e eu seguro forte em seu corpo, ele se move lentamente de uma maneira doce, mas avassaladora. Eu estou quase tendo outro orgasmo.

_ Lucca, por favor… eu preciso te sentir por completo, me dê tudo por favor…

Ele geme, segura meus quadris com ainda mais força e penetra profundamente. Minhas coxas tremem involuntariamente, ele me segura e aperta contra ele. Ele estuda meu rosto enquanto eu deliro de prazer, ele me beija novamente e suas estocadas começam a tomar ritmo, a cada vai e vem de seus quadris, parece que entro em outra dimensão, de tanto prazer. Ele chupa meus seios, me fazendo acalmar, depois ele continua rapidamente, uma de suas mãos em minhas costas com um aperto firme, o seu outro pulso enrolado em meus cabelos fortemente, deixando meu pescoço exposto para seus beijos, chupões e mordidas. Não demora muito para perder o controle novamente e Lucca me inundar com sua porra.

 Não demora muito para perder o controle novamente e Lucca me inundar com sua porra

Ele me abraça forte, enquanto ainda estamos conectados, tremendo. Ele se aproxima do meu ouvido, sua voz e firme, e seu hálito quente soprando em meus cabelos, enquanto ele diz.

Tu es ma came
A toi tous mes soupirs, mes poèmes
Pour toi toutes mes prières sous la lune
A toi ma disgrâce et ma fortune

Você é meu vício
A você todos os meus suspiros, os meus poemas
Para você todas as minhas orações sob a lua
A você a minha desgraça e a minha fortuna

Você é meu vício A você todos os meus suspiros, os meus poemas Para você todas as minhas orações sob a lua A você a minha desgraça e a minha fortuna

Eu o beijo apaixonadamente ao ouvir outro trecho da música Tu es ma came. Restamos abraçados por um momento. Sua respiração na curva da minha clavícula. Este homem estava me arrastando para um mar furioso em um dia de tempestade, mas eu ainda assim não conseguia ficar longe dele. Tudo diferente do que vivi com o Russo, dele eu queria fugir poucos meses depois do casamento.

_ Leona, você quer tomar um banho? O que tenho são somente minhas camisas, roupões, que poderiam servir em você. Mas posso mandar alguém buscar suas coisas.

_ Sim, eu quero tomar um banho. Tudo bem, eu visto um roupão ou uso uma camisa sua tanto faz. Foram tantas coisas que eu nem falei com o Paolo, nem perguntei sobre a Lais. Ela não veio…

_ Teve um motivo para ela não vir. O fato é que as informações que te passei são confidenciais. A interpol me autorizou a te dizer por causa do risco que agora você está correndo. Lais está imaculada nesta história, então ela saberá o que vamos dizer, o que o Paolo disse para ela.

_ Eu vou ter que omitir informações dela? _ Eu levanto minha cabeça buscando seu olhar.

_ Calma. O Paolo disse a ela que você passaria a noite comigo e amanhã o pai dele te colocaria em um programa de proteção, que o telefone dela vai ser vigiado e que você terá um novo número, o que é verdade, amanhã te entrego um novo celular. Mas o importante é que ela sabe que os espanhóis atentaram contra você por vingança da máfia Russa. Não confirme nada mais. Não dê mais nenhuma informação, isto é para a segurança dela também. Todos corremos riscos, seu pai já possui um próprio esquema de segurança, eu vou proteger você e a Lais será também protegida, não se preocupe. O Paolo sabe de tudo desde que comecei a colaborar com a polícia, por motivos que também não posso revelar, deixaremos este assunto como está, você já sabe muito, coisas que não deveria saber. _ Ele diz segurando meu rosto em suas mãos.

_ Isto é tudo tão insano. Ela vai pensar…

_ Que sou apenas mais um destemido Boss. Sim, ela vai pensar. E deve continuar assim. É muito importante para todos que tudo fique como está.

Eu começo a tentar colocar os pensamentos em ordem.

_Tudo bem, mas ela nem poderá me visitar? Eu tenho que ficar presa aqui?

Ele respira pesadamente, abaixa suas mãos. E seu olhar evita o meu.

_ Leona, eu não podia te contar nada. Te contei o máximo que posso. Mas novamente te imploro que confie em mim. Ao menos por sua segurança. Somente os policiais não vão conseguir te manter segura. Você precisa ficar aqui, esta casa é blindada em todos os sentidos, das janelas, portões e embaixo da casa tem um apartamento inteiro que ninguém pode entrar a não ser eu e de amanhã em diante, você. Cadastraremos as suas digitais, o meu chefe de segurança vai te orientar o que fazer em caso de algum alarme, o que é praticamente improvável nesta casa. Visto que você sabe atirar bem, não teremos que treinar esta parte. Você fez defesa pessoal, mas acredito que possamos reforçar isto. Mas acredito que você tenha que passar por outros treinamentos, quero ter certeza de que nada, absolutamente nada, possa te machucar.

Antes que eu pudesse perguntar mais, tentar descobrir o que era tudo isto, somos interrompidos por um dos seus homens avisando que a doutora Bossi estava de volta.

_ Vou te deixar um roupão preparado, e restarei com a doutora até você estar pronta. Esperaremos na sala. Vou mandar preparar algo para você comer.

Eu vou para o banheiro, deixo a água escorrer pelo meu corpo, desejando não estar passando por tudo isto

Eu vou para o banheiro, deixo a água escorrer pelo meu corpo, desejando não estar passando por tudo isto. Neste momento só queria uma vida normal com o Lucca, longe de tudo isto. Ele tinha as mãos sujas de sangue, mas de certa forma eu também tinha, mesmo que eu não tive a coragem de apertar o gatilho contra o Russo, eu desejei ver ele morto mil vezes durante meu calvário. Até me levar ao desespero de contratar um sicário para eliminar sua existência, mesmo consciente que isto custasse minha vida depois disto. Eu tremo, debaixo da água. Lucca apesar de ter feito tudo o que fez, mostrou muito mais amor por mim do que o monstro que fui casada. Eu saio do banheiro e Lucca está na porta.

_ Desculpa, eu vim apenas conferir se você está bem, dentro do possível.

Ele pega uma camisa sua e desliza sobre minha cabeça e eu não consigo evitar de o abraçar.

_ Anche io bisogno stare con te addosso amore mio. * *Eu também preciso de você colada em mim meu amor*, e eu prometo que você dormirá nos meus braços. Mas agora precisamos ir encontrar a doutora.

Ele me leva para a sala onde se encontra a Doutora Bossi e outra mulher. Eu fico sem entender, ela compreendendo se apresenta.

_ Sou Sandra Alberghiere, psicóloga. Eu vim para falarmos um pouco.

Eu olho o Lucca buscando entender. Elas pedem para eu me sentar. Lucca sussurra ao meu ouvido.

_ Eu tenho que te deixar sozinha com elas, mas volto quando terminarem. Na mesa ao lado tem algumas coisas que mandei preparar para você, coma e beba algo.

Eu seguro sua mão em meu ombro, ele se abaixa e deposita um beijo em meus lábios.

_ Escute tudo Leona, depois falamos. É necessário. Elas te darão informações importantes que ainda faltam para você saber.

Ele sai da sala, mas algo me diz que eu suportaria melhor se ele estivesse comigo. As mulheres me encaram e começam a fazer milhões de perguntas.

 As mulheres me encaram e começam a fazer milhões de perguntas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s