Amor Intenso Amor – Capítulo 37

Naquela noite, dormir seria a última coisa que conseguiria, eu passava e repassava o plano. O que eu poderia responder e argumentar. E a todo momento eu pensava na Leona, em como seria voltar para ela, em ter seus quadris sob os meus em movimentos contínuos e passionais. Eu canalizaria toda esta tensão em raiva e aniquilaria cada um daqueles bastardos se a polícia não chegasse em tempo. O plano B estava arquitetado com meus homens, nisto éramos melhores que a Interpol. Eu acendo outro cigarro.

Pego meus fones de ouvido e ao som de Rammstein Engel eu desço as escadas correndo.

Entrando na academia do hotel, eu vou direto para o saco de boxe, sem aquecimento. Eu acerto um soco após outro, cheio de fúria. Meus pensamentos em como me livrar desta situação. Porra, eu queria estar casando-me com Leona, eu queria estar com ela. Não existia e nem existiria outra além dela.

Eu continuo a socar, nada aplaca esta dor no meu peito, esta raiva. Eu preciso fazer justiça do meu jeito para aplacar o monstro dentro de mim.

Eu estava absorto até sentir algo quente saindo da minha pele, sangue, meu sangue, mas eu desejava que fosse de alguns dos meus inimigos.

Eu para e olho para minhas mãos trêmulas e ensangüentadas, tentando acalmar a raiva dentro de mim. A música ainda estava no modo repeat, eu voltei para o quarto correndo pelas escadas. Entrando, fui direto para o banho, eu estava descontrolado, o medo de perder, o medo de morrer, a vontade de matar, tudo estava em mim. A noite foi regada de um cigarro atrás do outro na companhia da minha insônia e alguns copos de uísque.

 A noite foi regada de um cigarro atrás do outro na companhia da minha insônia e alguns copos de uísque

No dia seguinte…

Eu estava vestido para o casamento, estava procurando onde estava Dania, dentro da mansão dos Florin. As mulheres me paravam dizendo que eu não podia ver a noiva que dava azar. Eu empurrei a porta e ordenei que todas saíssem. Dania estava ostentando um vestido caro e sua maquiagem pesada ostentava um sorriso que me dava nojo, eu odiava tudo naquela mulher.

Fechei a porta atrás de mim e caminhei até ela. Me sentei na sua frente. Ela tenta alisar o meu rosto e eu me afasto.

_As velhas têm razão maridinho, ver a noiva antes do casamento dá azar e pode causar mortes.

_ Eu não sou seu marido ainda! Mas já vamos deixar claro algumas coisas. _Eu jogo o envelope na frente dela, que começa a perder o ar esnobe.

_ Uma jóia em um envelope?

_ Acredite, de mim você não terá nem mesmo a bijuteria mais barata. Abra o envelope! _Eu me encosto na poltrona e assisto ela entrar em desespero.

Mandei investigar a sua vida mundana, eu já sabia que existia algum podre que ela tentava esconder. Mas foi melhor do que pudesse imaginar, ela estava trepando com o tesoureiro da família Florin, e juntos desviavam dinheiro da máfia romena. E se eu contasse isto para eles, ela seria morta. Eu tinha todas as provas, fotos, comprovantes. Ela cai pesadamente, com o rosto banhado em lágrimas me pedindo misericórdia.

_Eu serei uma boa esposa, farei o que você quiser Lucca. Me abandone, mas não me mate, não deixem que me matem. Pode denunciar ele, me ajude a convencer que ele roubou sozinho, eu dou tudo o que você quiser, te farei feliz…

_Primeiramente, você nem ama o cara. Não sei quem de vocês possui o pior caráter. Enfim, eu não estou na veia de perder meu tempo com isto. Você me dá asco, mas preciso de uma esposa troféu e você precisa  ser a mulher de um Boss. Nisto temos algo em comum. Então, a lua de mel nunca existirá e jamais farei sexo com você. Você poderá trepar o quanto quiser com o tesoureiro da família, mas te aconselho a ser mais discreta ou acabará sendo pega por algum outro e as coisas não ficarão boas para você. Se abrir a boca sobre mim para qualquer um sobre este acordo, considere-se morta. Pois tenho vídeos, além de tudo o que está no envelope, e seu papai estaria morto e todo resto que você já sabe. Então Dania, o que vai escolher?

_Eu aceito sua proposta. Mas quero que saiba que posso te satisfazer quando você quiser. Eu farei tudo o que você quiser na cama.

_ Não tenho interesse de transar com você. Tenho várias opções disponíveis para mim e as usarei para me satisfazer. Você servirá apenas para um filho quando eu o quiser. Então não me irrite com joguinhos.

A mentira que eu estava contando me dava ainda mais raiva, mas se fazia necessária. Se um dia eu tivesse um filho seria com Leona, mas visto a condição dela, isto jamais aconteceria. Dania não poderia desconfiar que o fato de eu não querer algo sexual dela é porque amo Leona e porque sou um agente prestes a encastrar todos os que ela conhece, inclusive o seu pai.

_ É por causa daquela vagabunda? A ex-mulher do Russo, não é? Como se chama aquela cadela… Leona…

Eu sei exatamente o que ela está fazendo, quer que eu demonstre raiva pelo que ela disse, assim comprovaria a sua teoria.

_ Ela é só mais uma, entre tantas. Mas minha vida sexual não é da sua conta. Aqui é você que me pertence, seja agradecida por eu estar poupando sua vida. Não me infernize. Sorria, saia bem nas fotos e diga a todos como está feliz comigo. Eu te espero no altar. 

Eu me viro e sigo para o meu martírio. Esta seria a cartada final, eu tinha que entrar no círculo dos mafiosos que estavam traficando pessoas. Penso em quantas vidas eu poderia salvar, talvez eu conseguiria alguma redenção afinal.

A cerimônia foi típica da igreja católica romana. Seguimos todos os ritos, fizemos muitas fotos, todos felizes e contentes. E eu só pensava em encher a cara e atirar em muitos rostos ali. Mas eu me contive, entrando no jogo, no papel que me foi desempenhado.

Mais tarde naquela noite, eu faria Dania dormir no sofá da suíte do hotel. Já era certo que não iríamos de lua de mel, eu tinha uma reunião com os romenos e todos os outros no dia seguinte no fim da tarde. Mas na manhã, toda a família queria ver os “esposinhos”cansados da noite juntos. E isto seria possível, eu não dormiria pela raiva contida e ela provavelmente não conseguiria dormir no sofá duro da sala. Assim estaríamos cansados para a felicidade da família, que pensaria ter sido por uma noite de amor. Sem saberem que tudo o que eu quero é distância daquela megera. Ao menos ela eu tinha nas mãos, com as ameaças que fiz, o problema seria ganhar a confiança do resto deles.

Após o casamento, eu estava no hotel quase sendo vencido pelo cansaço e o álcool, quando recebo uma mensagem no celular, olhando o visor vejo que é de Pietro

Após o casamento, eu estava no hotel quase sendo vencido pelo cansaço e o álcool, quando recebo uma mensagem no celular, olhando o visor vejo que é de Pietro.

“Sinto muito em informar chefe, acabou a safra Pandora. Não poderemos enviar como o Senhor queria. Mas vou preparar outras remessas de outra safra e levarei pessoalmente, amanhã desembarco em Nova Iorque.”

A raiva me consome, a garrafa vazia de uísque virou mil pedaços na parede. É isto, a Leona tinha me deixado. Pandora era um código entre mim e Pietro. Uma referência, caso ela ficasse desesperada e resolvesse me abandonar, a frase que Pietro deveria me dizer seria que “acabou a safra pandora”. E ali estava eu, com aquela maldita frase dita e a Leona sabe-se Deus onde.

Eu queria realmente acabar com tudo, eu queria voltar para Milão. Mas se ela escapou, eu teria que ser ainda mais cauteloso, pois se eles a pegassem meu mundo acabaria. Apesar de saber que ela era muito esperta e sua partida tinha mais a ver comigo mesmo.

Dania entra no meu quarto quase nua, fingindo estar assustada.

_Nossa o que aconteceu? Você quer ajuda, ou uma massagem para mandar embora o estresse?

Eu me aproximo dela e a empurro para fora, eu tinha que manter as aparências, não poderia sair agora. Se Pietro estava a caminho eu precisava somente esperar, ele estava trazendo alguma informação. Eu fecho a porta atrás de mim, abro outra garrafa de uísque e permaneço entorpecido até ver o sol nascer. Me lembro do nascer do sol em que eu estava com ela, o sol subia no céu enquanto eu estava duro dentro dela, enquanto ela murmurava meu nome em meio aos orgasmos.

E agora eu nem sabia por onde ela estava, se estava segura. Ela não pode ser pega. Tenho que dar um jeito de confirmar minhas suspeitas, que ela está segura assim que eu falar com James novamente.

 Tenho que dar um jeito de confirmar minhas suspeitas, que ela está segura assim que eu falar com James novamente

Primeiro dia após o casamento…

Eu consegui passar uma manhã mantendo a pose ao lado daquela imbecil. Sorrindo para a família dela durante o café da manhã e o almoço.

Já no fim da tarde, eu reuni todo o meu sangue frio e no horário combinado, peguei o carro e fui até o barracão da área leste

Já no fim da tarde, eu reuni todo o meu sangue frio e no horário combinado, peguei o carro e fui até o barracão da área leste. Existiam muitos carros do lado de fora. Ou estavam realmente querendo me executar, ou estavam com algumas dúvidas.

Florin se aproxima de mim quando me vê chegar, ele me cumprimenta, logo depois posso ver Igor, representando a máfia Russa e Romeo, a máfia espanhola. Eu a este ponto, já sabia que eles queriam me testar sobre Leona.

_ Pegamos a sua puta. E a trouxemos para cá. Dentro poucos minutos vamos todos nos divertir com ela. _Romeo diz com escárnio.

Eu apenas os observo rirem e se aproximarem de mim

Eu apenas os observo rirem e se aproximarem de mim. Eu travo meu maxilar e penso que isto é apenas um blefe.

_ Façam o que quiserem. Eu já estou satisfeito com sua filha Florin, e se não me for o bastante eu tenho as meninas do clube, aquelas traficadas. Algumas estarão bem interessadas a interagirem comigo.

_Você é esperto, Lucca. Nosso trato era que depois do casamento nós começaríamos a falar de negócios e assim será. Mas devo avisar para que mantenha seu nível de expectativa baixo. Decidimos em comum acordo, que você apenas tratará com os clientes menores da Grécia, Marrocos e Turquia.

_ Eu não me importo em mostrar minhas capacidades em negociar.

Romeo sorri ironicamente e cospe no chão. Então Igor se aproxima e fala próximo ao meu rosto.

_ A Leona é coisa nossa, você sabe, ela pertence a nós. Pode brincar o quanto quiser, mas quando a quisermos, sempre a pegaremos de volta.

Eu os observo atentamente, estreito meu olhar. A raiva dentro de mim era algo com a mesma proporção de quando matei o Russo, de modo cruel. Mas agora, mesmo convencido que ela não estaria ali presa como eles sugeriram, eles estavam me testando, testando o nível do meu sentimento por ela, como eles fizeram desde que descobriram que eu matei o Russo e andei controlando-a desde então.

_ Eu até entendo a hostilidade, afinal eu matei o Boss de vocês, estripando-o sem nenhuma piedade. Quanto a mulher, façam o que bem entenderem. Vocês realmente insistem em me provocar com algo sem sentido para mim. Entendo também a desconfiança, afinal não sou confiável, e concordo eu agiria da mesma forma. Nenhum de nós é confiável. Agora por favor, tragam a Leona vamos nos divertir.

Eu reuni minhas forças e dei a eles minha melhor interpretação.

Florin abre um amplo sorriso e me dá um abraço.

_ Espero que meus netos sejam destemidos como você e como eu claro!

_ No que depender de mim, ela ficará grávida em breve. Não vou entrar em detalhes para não chocar o pai. _ dou um sorriso provocatório

_ Me poupe dos detalhes. _ o velho romeno se apressa em responder.

Eles puxam uma mulher para dentro do balcão, ela esperneia. Fisicamente parecia um pouco com Leona, mas eu a conhecia de uma forma inexplicável e eu sabia que não era ela.

_ Lucca, quer beijar sua puta antes de fodermos a boca dela?

Eu posso ter cometido muitos crimes, mas tocar em uma mulher sem o consenso da mesma não fazia parte dos meus pecados a pagar.

_Estou satisfeito, se caso não se recordem estou ainda em lua de mel. E se pudermos ser breves com a reunião vou agradecer, tenho ânsia de voltar para a minha mulher. Então podem ficar com Leona por enquanto. Me digam onde a deixarão depois, caso eu precisar.

Vejo ódio no olhar de cada um deles. Bem-vindos ao clube bastardos, eu tenho tanto ódio quanto vocês, penso comigo mesmo. Florin se aproxima e tira o capuz da mulher. Ela sorri descaradamente, mostrando felicidade em seu rosto. Ela era uma das garotas de Florin, ela estava acostumada a servir a todos por prazer, por drogas, por dinheiro. Gostava de estar sempre à disposição deles para isto.

_ Poderia ser a Leona, mas não conseguem mais rastrear ela. Talvez alguém a tenha ajudado.

_ Algum traidor_ Diz o espanhol.

_ Eu nem sabia que ela podia ser rastreada, eu lamento, era divertido brincar com ela. Eu nunca pensei em rastrear minhas putas, me deram uma boa idea. _ No fundo sinto alívio, pois isto era sinal que antes de sair da minha casa, a equipe médica deve ter conseguido operá-la.

Florin se vira para mim, e me faz sinal para acompanha-lo para o seu escritório ali no barracão.

_ Então Lucca, temos que organizar sua posição na nossa família. Você disse que quer ganhar dinheiro com o tráfico que fazemos, mas devo dizer que não confio ainda cem por cento em você. Mas em alguns meses você terá um grande encontro na Grécia, com alguns compradores e também com fornecedores. Até lá, sugiro que você nos mostre sua inteligência nos ajudando com o tráfico de entorpecentes.

_Você confia em me dar sua filha, mas não me deixa participar logo nos negócios, mas tudo bem, Florin. Eu vou provar meu valor. Viajarei para a Grécia quando for o momento.

_ Que bom que me entende, Lucca. Se quiser voltar para a minha filha agora, faça-o, sei muito bem como é estar apaixonado.

_ Sim, vou voltar para ela em breve. Agora estou indo no aeroporto buscar Pietro.

_ Precisa de segurança extra? _ele sustenta um sorriso frio nos lábios

_Na verdade, ele vem trazer alguns vinhos para mim. E provavelmente eu o faça ficar, nunca se sabe.

Devolvo o seu olhar e sorriso irônicos. Eu saio do galpão sem olhar para os demais. Entrei desarmado e estava com as costas giradas para vários homens armados até os dentes que me odeiam e dariam tudo para ver meu corpo cair cheio de sangue. Entro no meu carro e dirijo rápido para o aeroporto.

Algumas horas depois, estava eu dando murro no meu volante, com um Pietro mortificado e em silêncio ao meu lado. Evitamos falar no aeroporto por alguém estar por perto, ou dentro do carro onde poderia ter uma escuta. Então eu estaciono o carro e descemos em um estacionamento ao longo da autoestrada. Eu desço do carro, ele se aproxima.

 Eu desço do carro, ele se aproxima

_ Sinto muito chefe. Ela viu aquele vídeo onde o Senhor falava sobre ela, e depois o seu casamento. Ela surtou, tentei acalmá-la, mas tinha pouco a se fazer a respeito.

_Tudo bem. Ela deve ter recebido ajuda. E o que James disse, quando você o informou?

_ Eles estão à procura dela. Mas até agora nenhuma informação.

Eu fecho os olhos e respiro fundo. Tentando não socar Pietro.

_ Você disse que tinha informações para mim através do nosso código Pandora na mensagem. Fale Pietro!

_ O pai dela a ajudou. Mas eu já tentei, a Interpol já tentou pressioná-lo, mas ele está relutante em dizer onde ela está. Lais está sendo vigiada, mas até agora nenhum contato da Leona.

Alguns minutos depois, chega James onde tínhamos marcado, como se tivesse que nos ajudar com o carro, ele desce e liga a nossas baterias e se aproxima de nós. A máfia sabia que ele trabalhava para mim assim como Pietro.

_ Acho bom você me dizer que a encontrou, James!

_ Lucca, mantenha a calma. Estamos dando nosso melhor, temos algumas pistas, mas nada concreto. Precisaremos de mais tempo. Quem a ajudou sabia exatamente como esconder alguém…

_Claro! O pai dela que é um dos maiores promotores de Milão, ele possui muitos contatos e faria de tudo para proteger a filha. O que me admira é vocês não o terem pressionado por uma resposta sobre o paradeiro de sua filha…

_ Lucca, você sabe que sem ele ter deixado pistas que a ajudou, não podemos obrigá-lo a nada, mas o pressionamos tanto quanto pudemos e ele não abriu a boca. _James tenta manter a minha calma.

_ Eu quero que toda esta droga acabe aqui. Eu os avisei que se ela estiver em risco eu não jogaria mais, não serei mais a porra de um agente. Vou eu mesmo encontrá-la e me certificar de que ela esteja bem.

_ Lucca, falta pouco. Não desista agora. Você poderá falar com a Leona assim que for possível, eu tratarei disto pessoalmente. Podemos pedir para o pai dela ao menos dizer se ela está bem…

Eu não tinha escolhas, não somente porque ela estava desaparecida, escondida de mim, de toda esta guerra. Mas por outro lado eu tinha a certeza em meu coração que ela estava segura. Eu respiro fundo e tento me concentrar. Eu dispenso a conversa e tento colocar uma paz momentânea imaginando que ela com toda este ódio, deve estar desejando nunca mais me ver. É hora de me dedicar ao máximo para tentar prender ou matar estes bastardos. Tentar ser um homem livre para ver minha Leona novamente, ter uma vida de paz. E deixar ela ter a escolha de me perdoar ou seguir sem mim. Eu a manterei protegida até o fim.

 Eu a manterei protegida até o fim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s