Amor Intenso Amor – Capítulo 50

Eu passo a manhã organizando todo o necessário, me arrumo e alimento Chiara, colocando-a para a sua soneca de depois do almoço. Alguns minutos depois, estou mordiscando alguns salames e queijos com Lais.

_ Vamos, beba mais uma taça comigo Leona, logo Lucca estará aqui e aí ele vai levar você e eu vou ficar solitária…

_ Lais, você é uma chata, sua sorte é que eu te amo. Só mais uma taça, depois vou retocar minha maquiagem…

_ Leona, você está sexy, um inferno, com este vestidinho preto colado no corpo e estas meias 7/8. Céus e estes saltos? Espero que o Lucca venha com um motorista ele não vai aguentar …

_ Ah! Cale a boca e beba. _ ergo a taça para ela que repete o gesto sorrindo.

Carlota chega até nós sorrindo sem graça.

_ Desculpe interromper, mas o Senhor Alef deseja falar com a Senhora. Eu não sei como ele passou pelos seguranças, ninguém me avisou, levei um susto em vê-lo na sala…

_ Leona, o Lucca vai matar este cara se pegar ele aqui…

_ Lais por favor, não piora as coisas. Vou falar para ele ir embora e dizer para ele não vir mais aqui. Você pode ficar com Chiara no quarto?

_ Sim, mas se você precisar, grite.

_ Carlota está tudo bem, pode ficar tranquila eu vou resolver isto. Pode voltar para o que estava fazendo.

Elas vão cada uma para um lado e eu sigo para a sala. Alef está encostado na janela, ao me ver ele abre um grande sorriso e caminha até mim. Quando ele se aproxima perto demais sinto o cheiro de bebidas e charutos.

_ Leona querida como você está linda, eu preciso dos seus beijos, faz semanas que você não me responde. Eu já te disse que te amo?

Eu me afasto e ele me segue. Eu levanto meu braço fazendo sinal para ele ficar longe.

 Eu levanto meu braço fazendo sinal para ele ficar longe

_ Alef, você tem que ir embora agora. Não sei como você entrou aqui sem que me avisassem. Mas você tem que ir. Eu não quero mais te ver, eu não posso mais. Peço desculpa se te iludi, mas eu não…

Eu não tenho tempo para alguma reação ele me ataca me empurrando contra a parede, eu tento chutá-lo, mas ele afasta as pernas. Antes que eu possa tentar outro golpe contra ele, ele é tirado de cima de mim e arremessado contra a parede.

Lucca estava em fúria, como na noite em que o espanhol me atacou na boate. Ele me olha rapidamente e caminha até Alef que se levanta com tudo, caindo em cima de Lucca.

Eu grito e não demora para a sala estar cheia de seguranças do Lucca. Mas nenhum deles os separa, afinal Lucca estava acabando com Alef.

_ Desta vez você vai sair daqui com muito mais do que o nariz quebrado. Eu disse para você ficar longe da Leona, longe da minha filha. Eu estou sendo muito bom com você, então não me provoque desgraçado.

Alef geme embaixo de Lucca, que parou de dar socos contínuos nele. Lucca se levanta e se vira caminhando para mim. Alef se levanta e o tenta acertá-lo, falhando miseravelmente.

_ Queria ver sua cara se seus amigos criminosos soubessem que você foi um agente infiltrado, que você ainda é protegido pela Interpol…

Lucca se aproxima tão rapidamente que ele não tem tempo de ter nenhuma reação, ele o agarra pela camisa.

_ Ao contrário de você, eu conheço bem o inferno, sou um demônio que tem livre passagem para os dois mundos

_ Ao contrário de você, eu conheço bem o inferno, sou um demônio que tem livre passagem para os dois mundos. E posso destruir você em qualquer um deles. Aliás, eu poderia fazer da maneira mais fácil para mim, a velha maneira, mas prometi que seria um homem melhor, então tenho que te informar que em segundos você será preso por atentado, invasão de privacidade, por uso indevido de sua posição, documentos falsos, visto que você burlou o esquema de segurança por alguns segundos, usando um nome de um dos agentes autorizados a entrar aqui, o resto você sabe como funciona. Eu vou te dar um último conselho, fique longe! Da próxima, eu te abro a porta do inferno e te deixo lá, queimando.

Alef não tem reação, seu rosto está pálido apesar de ele tentar manter uma cara de deboche. Lucca, apesar de descabelado, com fúria em seus olhos, ele não possui nenhum arranhão. Alef está sangrando, boca e o nariz. Seu olho está começando a ficar roxo e inchado. Ele não me encara em momento algum.

Lucca caminha até mim, ele me analisa de cima para baixo. Em seguida ele me puxa para fora da casa, eu mal consigo acompanhar seus passos com meus saltos. Ele está com a respiração alterada.

_ Lucca…

Ele não diz nada, continua descendo comigo pelo jardins. Até chegarmos perto da piscina, ele se aproxima da pequena casa no fundo do jardim, onde costumavam guardar algumas coisas da piscina. Uma casinha pequena, mas confortável, eu mesma dormi algumas vezes ali com Chiara durante o dia, exaustas de tanto brincar.

 Uma casinha pequena, mas confortável, eu mesma dormi algumas vezes ali com Chiara durante o dia, exaustas de tanto brincar

Ele empurra a porta de vidro e me puxa para dentro. Ele me encara com fúria, mas eu consigo ver a luxúria em seus olhos. Ele segura meu pescoço, eu entro no jogo, fico calada, deixo o instinto nos levar. A pressão de seus dedos em meu pescoço enviam uma onda de calor por todo o meu corpo, ele lentamente me empurra, até eu sentir minha bunda encostar na lateral da proteção do aquecedor. Ele alisa minha coxa, sua boca vai de encontro a minha em um beijo exigente, sua língua é dura como seu sexo ereto pressionando contra mim. Seus dedos tocam meu íntimo e ele geme em minha boca.

_ Você está sem calcinha. _ ele pressiona ainda mais seus dedos e continua falando _aquele desgraçado estava quase tocando em você… no que é meu, você é minha, minha!

_ Ele jamais me teve, ele jamais me teria Lucca… eu sou tua. _ eu mordo seu lábio.

Ele reage me invadindo o íntimo com seus dedos. Seus dedos se flexionam dentro de mim, indo e vindo e um tremor involuntário me invade. Sua boca está chupando meu pescoço, meus seios que já estão expostos através do decote, minhas mãos em seus cabelos e eu gritando seu nome. Ele prende seu olhar no meu enquanto seus movimentos ficam ainda mais ritmados dentro de mim, e esta conexão me leva ao orgasmo, minhas pernas tremem.

Antes que eu pudesse recuperar meu fôlego, a boca dele encontra a minha e ele substitui seus dedos por sua ereção, em um impulso forte ele está completamente dentro de mim, ele geme de maneira selvagem, eu tremo ainda em espasmos do orgasmo anterior e este gesto me deixa a beira de outro. Eu busco todo o ar dos meus pulmões, e ele empurra com força, me fazendo buscar apoio em seus ombros, ele me levanta em sua ereção, uma de suas mãos segura firme meu quadril e outra apoia minhas costas me puxando para ele.

_ Lucca, Lucca eu vou gozar…

Ele me beija profundamente, eu gozo em sua ereção e ele para os movimentos

Ele me beija profundamente, eu gozo em sua ereção e ele para os movimentos. Ele me empurra de costas, me fazendo apoiar as mãos onde antes estava minha bunda. Ele me abraça por trás, sua ereção encostando na minha entrada, eu rebolo e ele segura firme em meu quadril.

_ Me faz completamente sua_ cheia de tesão eu provoco querendo experimentar tudo com ele.

Ele me dá um tapa na bunda, me fazendo arquear o corpo e gemer alto. Ele alisa onde bateu e se aproxima do meu ouvido.

_ Eu preciso te preparar para isto, para aguentar tudo de mim, cada centímetro. Você ainda não está pronta, mas estará em breve.

Suas palavras são combustível para minha libido, seu hálito quente ainda está em meu pescoço, ele deixa uma trilha de beijos, eu sinto o quanto ele está duro, pressionado contra meu corpo. Eu preciso fazer ele gozar, eu rebolo, ele me segura ainda mais forte.

_ Fique quieta. Não se mova por nada. _ sua voz é ainda mais quente e perigosa.

Eu obedeço, ele continua abraçado ao meu corpo por trás. Suas mãos passeiam pelo meu pescoço, e desce apertando meus seios, brincando com meus mamilos duros de tesão.

_ Lucca, eu preciso de você dentro de mim…

Eu sinto seu membro pulsar, ele geme alto e se afasta. Eu continuo imóvel, exposta para ele. Sinto seus dedos me penetrando novamente eu me abro mais ainda. Desta vez os movimentos dele são frenéticos, alternados com alguns tapas na minha bunda, ele penetra minha bunda com dois dedos e eu perco o controle, e não demora para eu estar novamente gozando em seus dedos.

Ele não resiste e desliza seu pau para dentro de mim e seus golpes são selvagens tanto quanto seus gemidos, meus seios balançam e eu posso ver nosso reflexo no vidro da porta. A visão era quente, ele de camisa e calça pretos, sua ereção entrando e saindo da minha buceta, seus dedos ainda me explorando a bunda, meus seios balançando e nossos gemidos ecoando por toda a casa.

Não demora, ele enterra até o fundo uma última vez e me preenche com seu gozo grosso e quente. Ele me abraça mordendo minha orelha.

_ Você me deixa desequilibrado, eu sou completamente louco por você, eu te amo loucamente, Leona.

Eu olho nossa imagem novamente, meu vestido levantado na curva da minha bunda, suas mãos na minha cintura. Sinto o gozo dele escorrendo entre minhas pernas. Cada sensação e visão de nós me deixava descontrolada, tanto quanto ele.

_ Eu te amo desesperadamente, Lupo.

Ele me gira e me abraça forte, me beijando apaixonadamente. Ele se afasta e pega o celular que está vibrando.

_ Temos que ir amor. Ainda temos que nos despedir de Chiara e temos um voo para pegar.

_ Voo??

Ele não diz mais nada, apenas sorri enquanto fecha sua calça. Ele me ajuda a me recompor e segurando minha mão, me leva de volta para a casa.

Voltamos para casa, os seguranças juntamente com o Alef já não estavam por lá. Entramos e Lais estava com Carlota na cozinha.

_ Meu Deus vocês dois sumiram! Eu fiquei preocupada…

Ela para de falar e analisa nós dois de cima em baixo, logo ela ergue a sobrancelha e dá um sorrisinho.

_ Os dois estão com cara de que acabaram de…

_ Lais, por favor, contenha sua língua. _ apresso-me em falar.

_ Eu tinha que me acalmar e Leona tão sabiamente me fez suar com nossa …caminhada. _ Lucca incentiva a brincadeira de Lais.

Lais solta uma gargalhada e eu lanço um olhar irritado para Lucca, que sorri.

_ Vocês dois não deveriam se tornar amigos. Isto não é justo.

Lucca envolve minha cintura e me puxa para ele, depositando beijos em meus cabelos.

_ Chiara não acordou da soneca?

_ Não, mesmo com toda esta movimentação. Mas do quarto dela não se escuta nenhum ruído desta casa. _ Lais diz sorridente.

_ As malas do senhores já estão no carro. _Carlota se aproxima dizendo.

_ Obrigada, Carlota.

_ Chegou a hora do casal partir para uma lua de mel. Podem ficar tranquilos, cuidarei muito bem da nossa princesa.

Lais sorri e nos abraça. Lucca pega minha mão e começa a subir as escadas.

_ Venha, vamos nos despedir de Chiara mesmo assim. _Lucca sorri me puxando para o quarto de Chiara.

_ Vai ser difícil não querer pegar ela no colo, mas temos que deixá-la dormir.

Lucca sorri para mim enquanto abre a porta lentamente. A babá está sentada na cadeira ao lado do berço. Ela sorri para nós e entramos lentamente, observamos nossa pequena dormindo serenamente por um momento e depois descemos para a sala.

Lais estava já do lado de fora com Carlota. Lucca me deixa me despedindo mais uma vez delas e segue para dar ordens ao seu pessoal. Ele volta e me leva até o carro, ele abre a porta do passageiro e eu entro. Olho para Lais e Carlota que estão todas derretidas por Lucca sorrindo para elas. Ele entra no carro e antes de partir, ele pega o coldre com a arma e coloca em seu peitoral. Um leve arrepio me percorre a espinha, mas esta era nossa realidade, não teria como fugir disto. Estávamos em um carro sozinhos, apesar de toda a segurança nos seguindo, ele tinha que ser precavido.

 Estávamos em um carro sozinhos, apesar de toda a segurança nos seguindo, ele tinha que ser precavido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s