Esta manhã o tráfego de Viena estava um caos. Eu estou atrasada, faço o meu melhor para chegar ao Teatro para o ensaio. Tenho dificuldades para encontrar uma vaga, mas enfim consigo estacionar. Pego minha pasta com as partituras e me dirijo ao teatro.

Com certeza aquele idiota do Marcos vai me provocar. Esta será a segunda vez que me atraso. Eu nem sei por que ele implica tanto e depois durante o ensaio ele erra as músicas mais clássicas o que deixa todos extremamente frustrados, mas obviamente somente eu tenho coragem de enfrentá-lo como ele faz comigo.

Entro na sala de ensaio, estão reunidos conversando, olho para o palco e não vejo Marcos em lugar algum. Pelo visto não sou a única a chegar atrasada. Vou ao bebedouro e de repente sinto alguém encostando em mim e a voz intensa me faz arrepiar.

_ De novo atrasada? Temos que começar a te punir por isto. E eu vou adorar ser teu algoz.

_ Você é um abusado.

Ele solta uma risada safada. Ele se aproxima ainda mais, olhando em meus olhos.

_ E você gosta pelo jeito! _ ele tem fogo em seus olhos.

Os olhos dele vão para os meus mamilos duros sob o tecido fino da minha blusa, obviamente na pressa de sair de casa não coloquei sutiã. E agora este ato está me denunciando.

_ Estamos atrasados os dois, vamos! _ tento desviar a atenção

Sigo me equilibrando em meus saltos até o palco, com Marcos seguindo meus passos. Posso sentir seu olhar quente em meu corpo.

Quando chegamos e cumprimentamos todos, o ensaio começa. Sento-me ao piano e começo a tocar as quatro estações de Vivaldi, logo sou seguida por todos os outros instrumentos. E para a minha surpresa, quando chega a parte de Marcos no Violoncelo ele erra já nas primeiras notas.

Voltamos do início, uma, duas, três, cinco malditas vezes e ele erra. Todos irritados, mas ninguém tem coragem de enfrentar o magnânimo astro.

_ Acho que se você não consegue tocar um clássico, deveria mudar de carreira.

Ele me olha irritado, mas não diz nada para mim.

_ Peço desculpas. _ ele diz para a orquestra ostentando seu sorriso perfeito.

O maestro da orquestra um tremendo fã de Marcos apenas sorri compreensivo.

_Sugiro que vocês dois façam uma pausa talvez voltem mais calmos.

Marcos apenas sorri e se afasta. E eu indignada vou até o Maestro.

_ Eu não quero sair. Porque tenho que fazer uma pausa sendo que este cretino e quem estava errando…

_Elise, será melhor você se acalmar. Além do mais preciso fazer a segunda pianista ensaiar um pouco.

Eu nem me dou o trabalho de responder e caminho em fúria para a sala de repouso. Mas antes de chegar na porta alguém me puxa pela cintura e me empurra na parede.

_ Eu estou realmente cansado disto. Odeio jogos, e eu te quero, te desejo o teu fogo, assim como o diabo deseja as labaredas.

_ Marcos você….

Antes que eu fale qualquer coisa, ele me beija. Seus lábios quentes me invadem de forma desesperadora e eu me sinto molhada. No início consigo resistir, mas quando ele geme na minha boca eu perco todo o meu controle. Toda a raiva que eu fingia sentir para mascarar o desejo foi dissipada.

Eu me apresso a tirar o seu casaco do terno, abro sua camisa e ele mal tem tempo de falar algo, afinal nossos beijos não cessam.

_ Elise, você realmente quer? _ele alisa minhas coxas.

_Marco cale a boca e me beija. Eu te quero …

Enquanto me beija ele levanta a minha saia apenas o bastante, ele afasta minha calcinha com os dedos e alcança minha buceta sente o quanto estou molhada com seu toque e me provoca.

_ Eu sou o responsável por todo esse desejo?

__ Sim você é o responsável por todos os pensamentos indecentes e por me manter encharcada a maior parte do tempo.

Ele me encosta na parede eu não resisto e toco o membro dele e sinto quão duro ele está.

__ Me fode, Marcos…

Ele não se faz de rogado me encosta na parede tira seu pau para fora e me penetra em uma única investida enquanto a orquestra toca Mozart Requiem  for a Dream

E de repente tudo passa a fazer sentido, como não me deixei levar pelo desejo antes ele continua metendo e leva os seus dedos ao meu clitóris e não para de se mover até eu explodir num gozo esplêndido enquanto a música chega ao ápice, fico ofegante enquanto ele me carrega para a sala de repouso sem tirar seu membro de dentro de mim

Ele me deita no sofá e sai de dentro de mim tranca a porta tira minha roupa e cai de boca na minha buceta com voracidade aperta forte as minhas coxas enquanto gemo descontrolada com aquela doce tortura ele enfia dois dedos em mim e não para de me chupar

__ Por favor Marcos não para

__ Eu só vou parar quando você gozar para mim, você é muito gostosa Elise e muito mais doce do que imaginei.

Provo o meu gosto em seus dedos me ajoelho e começo a punhetar aquele membro maravilhoso e coloco ele na boca de uma vez e só ouço o gemido de Marcos

__ Gosta disso Marcos?

__ Mais do que você imagina, essa suas mãos e sua boca me deixam louco

Ele pega meus seios e começa esfregar aquele membro maravilhoso fazendo uma espanhola e cada investida dele eu lambia a cabeça do seu pau com voracidade

Ele pega meu pescoço me dando uma leve enforcada me deita no sofá e me penetra de uma vez e me beija para abafar meus gritos, seus dedos hábeis não para de tocar meu clitóris, aperta meus seios com força

__ Me fode Marcos, me fode bem forte.  _ eu imploro

Eu suplico enquanto um orgasmo forte vem seguido de um squirting, ele não para de se mover dentro de mim porque ele ainda não gozou.  Eu mudo de posição e coloco o membro dele na minha boca.

_ Enche minha boca de porra Marcos…

Ele puxa meus cabelos e movimenta seus quadris, blasfemando baixinho. Ele não demora muito, ele me puxa, me levantando.

_ Eu preciso me afundar em você, agora!

Ele me posiciona de quatro e me invade sem piedade. Eu sou todas gemidos e dou graças ao Requiem que repete em alto e bom som no teatro. Marcos empurra ainda mais forte e eu o sinto profundamente me preenchendo toda. Eu me delicio com seu pau deslizando em minha buceta encharcada, ele sai e volta com forca total para dentro de mim e eu grito gozando enquanto ele me enche com seu gozo quente.

Ele me puxa para os seus braços eu encosto minha cabeça em seu peito, estamos ofegantes, mas eu reúno forças para dizer.

__ Isso foi perfeito Marcos

__ É apenas o começo Elise. _ ele beija os meus cabelos.

Eu apenas sorrio, meu coração estava acelerado demais e meus pensamentos confusos com todo aquele desejo entre nós.

_Vamos nos recompor o ensaio ainda não acabou e temos que voltar para lá. E se continuarmos aqui eu não me responsabilizo pelos meus atos, vou te comer das formas mais profanas.

Os olhos dele ainda ardiam de desejo e eu não podia esconder o fato que eu ainda estava excitada querendo ele.

Vou até o banheiro e tento me recompor olho no espelho e me deparo com uma imagem satisfeita como a muito tempo não via, saio corada lá de dentro um pouco envergonhada, ele já está perfeito em seu terno, ele sorri para mim e quando vou abrir a porta ele segura minha mão e me diz:

_Elise isso não acabou e se você aceitar fazer isso de novo, quero que seja na minha casa, porque se for aqui, não posso prometer que todos no Teatro escutarão seus gritos a cada estocada minha.

__ Eu não sei se devíamos continuar. E não precisa fingir se…

__ Eu te desejei por tempo demais para ter você comigo uma única vez. __ ele alisa meu rosto e me beija demoradamente e eu retribuo.

Quando me solta ele sorri e diz:

_Vamos voltar para o ensaio, porque quando o mesmo acabar, eu quero você no meu quarto, na minha cama e na minha vida.